Antes de começar a ler, você deve saber que esse texto contém spoilers cruciais para Homem-Aranha: Longe de Casa, então continue por sua conta e risco.

Antes da estreia, e precisamente nos trailers, Homem-Aranha: Longe de Casa insistia no conceito do multiverso. A ideia passada nos trailers era que Quentin Beck, o Mystério era de uma Terra diferente, a Terra 616. Isso teria sido possível depois do estalar de dedos de Thanos. Mas, as coisas não são bem assim.

Durante o longa, descobrimos que Mystério é na verdade um farsante, utilizando tecnologia para tentar se tornar um herói. Quentin está no MCU a algum tempo e trabalhava para Tony Stark até ser demitido. Ou seja, não existe multiverso. Pelo menos não no longa do Cabeça de Teia.

Segundo o diretor Jon Watts, em entrevista ao Comicbook, não há Terra 616. A Terra 616 é a versão dos quadrinhos. Quentin Beck, de Jacke Gyllenhall, tanto quanto o Peter Parker, de Tom Holland, são da Terra 19999, que é onde se passa o MCU.

Watts disse que o multiverso pode até existir, mas que o longa não é influenciado por esse conceito. Para o diretor, os acontecimentos anteriores, em Vingadores: Ultimato, deixaram as pessoas propensas a acreditar em tais coisas.

“Tantas mudanças aconteceram em Ultimato, como metade da população desaparece e Thanos invade a Terra, e as viagens no tempo são possíveis. Então as pessoas simplesmente acreditam. É como se o mundo fosse tão louco que, por que não acreditaria?”

Homem-Aranha: Longe de Casa está em exibição nos cinemas.